Arq. Jorge Pereira

Jorge Pereira

O Centro Social do Vale do Homem, IPSS, faz, realiza, concretiza,…
Na área Cultural, na área Social e na Saúde.
Se o Centro Social, em Vila Verde é um sucesso.
O Lar das Termas, em Amares, continua a caminhada da realização e concretização.
Hoje, somos uma instituição, jovem, mas com grande maturidade nos serviços que prestamos.
Os nossos edifícios são de elevada qualidade e conforto, com valorização de espaços exteriores, que incluem áreas verdes, bio ginásio e zonas de lazer.
Temos uma equipa técnica multidisciplinar, com conhecimento, experiencia, dinamismo e inovação social.
Os nossos profissionais de Saúde são referências Regionais.
Os nossos colaboradores cuidam dos nossos utentes respeitando os princípios e valores humanos, com carinho, afeto e dedicação.
Os nossos recursos humanos são de excelência.

Serviços de Qualidade! Instituição de Confiança!

Jorge Pereira

Dr. João Luís Nogueira

Caros associados, utentes, famílias e amigos do CSVH: ao dobrar uma década, devo felicitar-vos pelo apoio constante que permitiu chegar aqui, com sucesso, votando e apoiando as propostas da direção, no desenvolvimento e crescimento sustentado do CSVH, colaborando com os seus órgãos sociais que trabalham, entre si, em estreita colaboração.
Ao assumir a Presidência da Mesa da Assembleia Geral do Centro Social do Vale do Homem, no presente mandato, em Dezembro de 2014, foi com muita honra e humildade que o decidi, pois sabia tratar-se duma instituição de grande alcance social e de enorme influência na humanização das populações do Vale do Homem que superiormente tem servido, nesta década.
Desta forma, associo-me ao trabalho superiormente realizado pela Direção, na construção do Lar, em Lanhas, ao apoio domiciliário, no Vale do Homem, à implantação da Horta Social, sem esquecer todas as outras ações de intervenção, na mesma zona, relevando para primeiro plano o programa “Vale do Homem com Saúde”.
Merece especial destaque a influência junto da autarquia de Amares para cedência da antiga Escola Básica da freguesia de Sequeiros, para construção de um Lar, e junto da autarquia de Vila Verde, para cedência da antiga Escola Básica de Ponte S. Vicente, numa atitude visionária na área social, abrindo as portas a uma resposta social inédita, no campo da demência, em particular, gerando condições para a criação de um centro de apoio às pessoas afetadas pela doença de Alzheimer.
O empreendedorismo social do CSVH é uma realidade objetiva que se vive, no dia a dia do Centro, cabendo, aqui, uma palavra de profundo apreço e agradecimento pelo profissionalismo demonstrado pela sua Diretora e toda a sua equipa técnica,  bem como a todos os colaboradores que têm realizado um excelente trabalho social em prol do outro, num período já longo de crise social e económica que atravessa o País, onde os mais carenciados mais precisam destas instituições e gestos de solidariedade.
Apelo a todos os associados e amigos um maior sentido de responsabilidade de ação na prática de uma colaboração voluntária, pois o voluntariado é um ato de grande alcance social que este tipo de instituições muito precisa e valoriza.
O aumento da qualidade na prestação de serviços sociais é um valor fundamental e que está na linha de ação do Centro, dar mais comodidade  aos utentes e respostas sociais adequadas à população do território: é um objetivo, de curto prazo, a atingir.
As parcerias encontradas garantem um progresso seguro e sustentado, no futuro do Centro, instituição incontornável no contexto social e económico do Vale do Homem, colocando o desafio de ser o maior e melhor Centro Social deste território, queiramos todos nós contribuir e colaborar neste desiderato.

BEM HAJAM
TUDO VAMOS FAZER PARA SERMOS FELIZES

João Luís de Matos Nogueira

Dr. Nuno Cerdeira

“É usual dizer-se que o tempo é aquilo que fazemos dele. E estes doze anos, no que diz respeito ao CSVH, foram bem vividos e preenchidos. O trabalho de todos os dias vem, paulatinamente, dando os seus frutos, na certeza de que o presente bem pensado constitui a melhor garantia de futuro.

Hoje, a instituição CSVH é reconhecida, pelas várias entidades competentes, pelos seus pares e pelas populações do vale do Homem, como referência na prestação de cuidados a grupos socialmente mais vulneráveis, com especial atenção aos idosos. O sentido de cooperação com todas as entidades e parceiros tem sido constante, e assim continuará a ser, considerando a necessidade de atenção permanente ao tecido social que nos rodeia.

Mas estes doze anos não são apenas data para recordar o passado, o que se fez; é também momento de pensar adiante, em novos projetos e na expansão territorial. E o que neste dia são projetos, amanhã serão realidades, com a ajuda, o envolvimento e o empenho de todos.

Uma palavra em especial para todos os que fazem o CSVH no seu dia-a-dia: trabalhadores e colaboradores, direção técnica, direção e restantes membros dos órgãos sociais. O seu sentido de compromisso e o seu empenho permitiram estes doze anos de atividade.

O que foi conseguido até esta data é motivo de orgulho e satisfação, e deve ser a força que sustenta a ambição de desenvolver novos projetos no futuro. Assim, recordando os primeiros doze anos de existência, aguardamos já pelos próximos doze.

Um brinde ao CSVH!”

Com os melhores cumprimentos,

Nuno Miguel Cerdeira Ribeiro

Pe. Carlos Lopes

“O requisito essencial para que uma casa possa ser considerada um lar é: ser limpa o suficiente para ser saudável e suja o suficiente para ser feliz” (Adriana Cristina Razia). A esta expressão apenas trocaria “limpa” por “irreverente” e “suja” por “acolhedora”. Assim, o CSVH manifesta, desde o início, o perfeito equilíbrio entre a irreverência e o saber acolher. O projeto não pára de crescer. A qualidade também não. Basta não andar distraído, para ver. Uma palavra de profundo reconhecimento a todos os envolvidos num projeto de tal envergadura, por não terem medo de arriscar. E já dez anos passaram; repletos de boas surpresas, muitos trabalhos, empenho sério, e tanto bem trazido à sociedade e, nela, a tantas pessoas que a compõe.
Creio que devo destacar a mestria com que tal projeto se tem desenvolvido. Tantos intervenientes que procuram dar o melhor de si e que, gradualmente, vão frutificando em bom ambiente e qualidade de vida.
Percorrer os corredores desta instituição é reconhecer em cada centímetro tanto amor prestado. Cada sorriso encontrado no rosto de quem surge é a prova mais sublime de que tudo tem valido a pena, que cada pessoa tem o que de melhor se pode oferecer, que é o preservar a sua dignidade de pessoa, capaz de gerar bem.
A todos, presidência, colaboradores, benfeitores, agradeço pelo cuidado em não fazer dos mais débeis uma coisa ou um número, mas, sim, um objeto de profundo cuidado e ternura sem descurar os mistérios que acompanham cada existência humana.
Muito obrigado. De coração.

Pe. Carlos Lopes

facebook